Three Stories

Contarei três histórias que são minhas experiências pessoais que passei nestes últimos 6 anos.

O título não tem nada haver com aquele episódio de House M.D. da primeira temporada.

As minhas três histórias são baseadas no discurso de Jobs para os formandos de Stanford, em 2005.

O vídeo é este:

Se o link quebrar depois de algum tempo, retirarem o vídeo, jogue as palavras chaves dentro do buscador do youtube “jobs stanford”. Você irá achar.

A segunda parte do vídeo, você terá que caçar no youtube. Faz uma forcinha também né?!!..ehehe

Achei estranho este discurso. Estou acostumado com o estilo de Jobs anunciando os produtos de sua empresa, Apple. Neste caso, ele contando um pouco de sua vida, é algo totalmente novo a minha pessoa.

Mas tudo bem, vamos lá:

  • Pontos que se encontram

No ano de 2003 eu recebi uma notícia nada agradável em relação aos meus estudos. Eu não poderia passar para um estágio mais avançado. Não poderia mais prosseguir.

Precisava de uma média de notas que eu não tive a competência de agarrá-las. O resultado foi a minha retirada desta instituição de ensino e partir para trabalhar na área privada.

Isso era algo que eu já deseja: trabalhar em uma indústria e seguir carreira, mas isto ocorreu fora dos planos do período que eu pretendia fazer, que foi mais cedo do que eu estava planejando.

Após sair dos estudos, comecei a trabalhar em uma fábrica de artigos esportivos, na área de produção, no começo do ano de 2004.

Posso falar para vocês que a experiência que eu tive nesta fábrica em dois anos e meio (fui demito em 2006) foi muito difícil. Havia muito assédio moral que não entrarei em detalhes, então eu paro aqui.

Mesmo sendo fatiado, como um salame, todo santo dia  nesta empresa, algo de bom, que na época nem imaginava, veio até a mim. Eu era responsável por um setor da fábrica e tinha 2 ou 3 colaboradores diretos.

Por conta desta empresa eu fiz um curso de liderança no Senac de Campinas. A partir dai eu desenvolvi este feeling de como ter contato com colaboradores.

Era reponsável por perfis de pessoas que não aguentavam mais trabalhar nesta empresa, mas mesmo assim, eu tinha metas para atingir. Terrível!!!

Podem ter a certeza que eu nunca iria desenvolver esta habilidade estudando na minha antiga instituição de ensino.

O massacre todo teve o seu lado positivo. Desenvolvi capacidades que eu utilizo nos dias atuais, sendo isto bastante útil para mim. Fora o fato de algumas leituras que eu compro que ajudam-me a estar ciente e atualizado com esta parte de gestão de pessoas.

A parte técnica me fascina, mas liderança também.

Parafraseando Jobs: Não dá para ligar os pontos tentando ver o futuro, no meu caso eu só consegui fazer essa ligação olhando o passado.

No meio de todo sofrimento, algo me dizia que era um aprendizado, mas da pior maneira possível. Isso me dava confiança de que seria temporário e ajudaria-me de alguma forma futuramente.

Acredito que a travessia não acabou, apenas houve mudança de situação, mas mantendo confiança em meu coração, sei que um resultado final, muito positivo, ainda virá.

Os sinais são claros. Apenas terei que ter paciência.

  • Amor e Perdas

Quando eu fui demitido, desta fábrica de artigos esportivos, fiquei quase um ano desempregado.

Não foi um período muito fácil.

Fiz inscrições em sites que oferecem vagas de empregos, caçando todo santo dia um emprego e nada. Fazia entrevistas, dinâmicas de grupos…e os resultados não eram positivos

Tentava controlar minhas últimas economias, mas continuava fazendo minhas aulas de inglês, pois é um conhecimento que eu acredito que eu preciso saber.

Neste mesmo período eu comecei a aprender a usar Linux.

Tanto o Linux quanto inglês são duas linhas de conhecimentos que eu amo utilizar, estudar, etc. Lógico que tem horas que bate o cansaço, e há a necessidade de férias.

Linux levou-me a conhecer dois programas de desenho e modelagem que eu tenho muito prazer de usar hoje em dia (Blender e Gimp).

Hoje vejo que estou no caminho certo. Amo fazer modelagens no Blender, e os meus conhecimentos em inglês já me levaram comprar e obter material fora do país. A ler livros, a ver tutorias na net, etc.

O fato de eu ter perdido um emprego fez com que eu tivesse tempo de criar habilidades que eu não tinha. Levando-me a trabalhar em algo que estou adorando.

A perda foi benéfica.

Parafraseando Jobs: Você tem que achar o que você ama. Trabalhar vai preencher muito tempo de sua vida, então fazendo o que você ama vai levar a satisfação, que levará a um ótimo trabalho.

Como todas as coisas que vem do coração, você saberá quando encontrar algo que lhe dará imenso prazer.

  • Morte

Eu não tive a experiência de Jobs de ficar próximo a morte, a ponto de fazer com que todos os meus santos dias eu me dedicasse e aproveitasse ao máximo.

Mas posso garantir que acredito na frase de aproveitar, e agradecer, ao dia como se fosse o último. Quando eu lembro, eu agradeço.

Há algum tempo, eu havia brigado com uma pessoa próxima de mim. Uma pessoa que eu gosto mas que eu não concordava com algumas coisas que ela fazia, ou as atitudes que ela praticava.

Aquilo de sempre: meu jeito de ser é o melhor, faça o que eu mando, etc.

Bem, no final eu havia brigado com esta pessoa e deixei de conversar por um longo tempo.

E assim correu até que no começo do ano aconteceu um fato.

Teve uma noite que eu estava em casa descansando e começou uma sensação horrível de que havia acontecido algo de ruim com esta pessoa. Fiquei remoendo e não parava de andar para lá e para cá em casa.

A sensação de perder a pessoa, e ficar em um looping de pensamentos do tipo “eu não fiz as pazes com ela” foi péssima.

Não falei um “a” para minha mãe o que eu estava sentindo, para que ela não entrasse na minha alucinação e paranóia de momento. E foi exatamente isso que aconteceu, uma demoniaca alucianação de minha parte.

Foram horas de agonia, até o momento em ver a pessoa ali na sua frente: tudo muito bem e na mais perfeita ordem.

O que aconteceu foi que em poucos dias voltei a falar com esta pessoa. Havia acabado aquele mal-estar, e parece piada, mas alguns pontos em minha vida começaram a melhorar.

Talves porque o fato de você estar de bem em determinados setores de sua vida, você se concentra mais naquilo que ama…que leva você ao que tanto almeja.

Não irei aqui parafrasear as palavras de Jobs. Mas acredito em umas palavras do meu antigo professor de shell script; ditas em uma noite enquanto ele trabalhava em sua casa.

“Não tem jeito, a vida sempre lhe dará um tapa, ou um murro, para você voltar a fazer a coisa certa..”

Penso algumas vezes nisso, pois ou você aprende, ou você é nocauteado.

cl for seven, baby!!!

73 55

Anúncios

8 comentários sobre “Three Stories

  1. É isso ai, tem coisas que precisam ser feitas e estarem em ordem (me refiro à terceira história). Buscar a harmonia, principalmente em casa, com seus próximos é fundamental para que as outras coisas aconteçam. Eu sempre brinco com esta história de vocês (presenciei momentos bizarros), mas era uma coisa que esperava muito que fosse resolvida (sem pieguice).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s