DraftSight – tentativa de mudança.

Há mais ou menos um mês, eu descobri que a Dassault Systemes lançou uma alternativa de cad totalmente free.

Resolvi experimentar o DraftSight.

Apenas lembrando que o Dassault já oferecia um cad, na instalação, em um dos seus mais famosos programas de modelagem mecânica, o SolidWorks.

No feriado do dia 02/11/2010 (Terça-Feira) eu instalei o Draft e treinei um pouco com ele para não haver nenhuma surpresa durante a Quarta, pois iria colocá-lo como meu software principal.

Deixei a interface dele parecida com a que eu uso no Autocad.

 

Sempre deixo os Toolbars de Layers, Dimensão, Vistas e Padrões. O Toolbar padrão de salvar, imprimir eu despacho na hora.

Outro detalhe importa é o Options deste cad, bastante parecido com o do Bricscad.

 

Nesta hora eu estava configurando o tamanho dos Snaps, tamanho da área de seleção de entidades, etc. Na parte de autolisps eu não fui a fundo para descobrir como eu deveria fazer para carregar os meus programas.

Existe um feature muito legal neste cad que se chama Mouse Gesture.

Ao apertar o botão direito do mouse e descer o cursor para baixo, abre-se um círculo aonde você escolhe qual função você deseja acionar. Logicamente que você configura quais os comandos devem aparecer neste atalho fantástico.

Na foto eu retirei o que tinha como padrão e coloquei os comandos de cota em linha reta (LINEARDIMENSION) e a pasta Open.

Em termos de comandos, eu encontrei quase tudo. Algumas coisas que eu senti falta (leia-se não tive tempo de descobrir) que foram o Justify para texto, que eu uso demais, e o Dynamic Imput, no qual sou viciado nele, pois preciso ver os valores perto do cursor.

Outro feature que eu sinto muita falta é a autocomplementação de comandos apertando a tecla TAB. Tanto Brics como o Draft não possuem essa característica que é de grande ajuda.

Chegou a Quarta-Feira e eu só tinha ele no meu laptop instalado como programa cad. Tinha chegado a hora dele mostrar serviço para mim, para eu sobreviver até o final do dia.

O conhecimento eu tenho, e estava confiante na ferramenta. Mas eu ignorei um detalhe, e isto custou caro. Acompanhem.

Logo na Quarta eu peguei um desenho para fazer algumas revisões. Um cliente recebeu nossos desenhos, fez os comentários enviou de volta para nós. Solicitou as correções de imediato.

Peguei os desenhos, vi os comentários e comecei a fazer o mouse e o Draft trabalharem. Notei que durante a navegação havia alguns lags (travadas) ao se dar Zoom ou Pan no desenho, e com o tempo isto estava me incomodando demais.

Não era o poder de processamento do meu laptop, pois com o Autocad, que é muita mais pesado, os desenhos eram navegados de maneira mais “suave”.

Continuei o meu trabalho, eram no total dois desenhos para editar. Quando eu terminei o segundo desenho, dei um Purge e no que eu fui dar um Audit em seguida, o programa crashed.

Ok, abriu-se uma janela padrão pedindo desculpas sobre a situação e solicitando um relato do ocorrido. Preenchi, foi enviado para a Dassault e no que eu fui tentar abrir o desenho novamente abriu-se uma janela falando que havia problemas no arquivo.

Opa, perigo! Fui usar o Recover do próprio Draft para consertar e abrir o desenho e nada. Nesta hora eu fiquei gelado.

Fui em um desktop do escritório, e tentei usar o Recover do Autocad. Naveguei até o desenho, que estava salvo no servidor, e mandei bala na idéia.

Como diria meu amigo Sidoti, “Pam”, recebo um recado falando que o desenho tinha ido para o beleléu.

Minha saída foi esquecer este DWG e pegar novamente o desenho original, enviado pelo cliente, e refazer tuuuudo de novo.

Meu principal erro foi confiar em um programa Beta. Sim, se você entrou no link lá em cima do Draft, verá que ele está na versão Beta.

Minha conclusão é o seguinte: se o Draft ficar estável, mais rápido na navegação dos desenhos, e ter autocomplementação de comandos, consigo migrar facilmente.

O resto eu acho ou procuro saber lendo sobre ele.

O Autocad também dá seus Fatal Errors, de fechar o programa, mas não a ponto de dar perda no arquivo.

Vou esperar ele sair da fase Beta e testá-lo novamente, mas na minha experiência, o erro que ele fez era coisa de programa Alfa.

Infelizmente não consegui sobreviver apenas com uma faca e uma caixa de fósforo. Mas foi um aprendizado.

Sad but True.

Será que estou deixando para lá o Bricscad para ficar de vez no Windows, com o DraftSight??? Nada, haverá Draft versão pinguim.

 

Cl for Seven, baby !!!

73 55

 

 

 

Anúncios

9 comentários sobre “DraftSight – tentativa de mudança.

  1. Mesmo o mais famoso dos genéricos do Autocad, intelicad, naum funciona corretamente! Quer fazer desenhos 2D? AutoCAD! Ponto, nenhum software conseguiu chegar perto ainda, eles ficam devendo pequenos detalhes q resultam em grandes coisas no final!

  2. PAM!
    Chefe Escute a Voz da Esperiencia,
    Peça Conselhos a Pessoa Certa ( Carlos Project ).
    Ele ira falar um pouco dos Softwares que trabalham em 2D.

    Abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s