Correndo como um ser humano, Luna Sandals – Barefoot Running

Meu irmão, correndo com meu Luna

Ano de 2006, no meio do México, a kilometros de algo que possa ser chamado de cidade, alguns americanos realizaram uma corrida de 50 milhas junto com a tradicional tribo indígena de supercorredores; os Tarahumaras.

Não entrarei em detalhes, mas afirmo que estas minhas primeiras palavras são apenas o pico de um iceberg de um livro, que é um best seller e fonte de inspiração para os corredores e praticantes do barefoot.

O nome deste livro é Born to Run, de Christopher McDougall.

Pensei em comprar minha versão em inglês, mas como eu ainda travo em algumas palavras, e estava muito ansioso para ler, eu comprei minha versão em português.

Um dos protagonistas do livro é “Barefoot Ted” McDonald, um corredor, que passou a correr descalço, por motivos pessoais, e que foi o primeiro a utilizar o Vibram Five Finger com a finalidade nunca antes imaginada: um calçado de corrida.

Após o evento do México, Barefoot Ted criou a sua pequena fábrica de sandálias (Luna Sandals) baseado nos huarache dos Tarahumaras, destinado para os amantes da corrida minimalista.

Já escrevi aqui no blog dois posts sobre minha mudança do meu jeito de correr após a compra dos meus Vibrams.

Só que eu queria experimentar algo a mais. Tinha o desejo de sentir mais uma vez uma situação nova, mas sabendo e consciente que seria uma ação que me levaria ao prazer agindo de forma segura. Assim eu chamei meu primeiro Luna (The Original) com tiras elásticas de 5/8″ de largura.

Correr com uma sandália Luna me passou uma sensação de muito mais liberdade, pois diferente dos Vibrams, os pés não tem um tecido envolvendo toda sua área externa.

Ao correr com este calçado eu aumentei ainda mais minha atenção ao pisar do que com meus Vibrams. Correr no estilo barefoot exige este cuidado, pois não tem como você ligar o “automático” e apenas mexer as pernas. Uma distração você pode esfolar seus dedos.

As tiras mantem o solado fime no pé. Muita gente pergunta-me se a sandália escorrega, ou os dedos escapam, como um chinelo em uma situação com água, mas já corri mais de uma vez na chuva, sendo alvejado, além das gotas, pelos comentários da minha mãe falando que eu estava louco e que iria ficar doente.

Posso afirmar que a sandália não escapa do pé.

A regulagem das tiras é algo que você irá gastar alguns minutos quebrando a cabeça. Regulagem muito justa dá firmeza da sola aos pés, mas também as tiras começam a ficar apertadas e a incomodar. Achar o meio termo será sua nova habilidade.

Gostei tanto do Luna que comprei outro. Aterrisou na minha casa, há algumas semanas, o meu segundo modelo que é o LeadVille.

Enquanto eu estava desempacotando o produto, pensava como esta situação é insana.

Mesmo tendo condicionamento, correr era algo abominável para mim. Eu detestava.

Comecei, tomei gosto e em pouco tempo fiz algo impensável para muitos corredores, abandonei os clássicos tênis de corrida.

Na academia eu já escutei de tudo, de gente falando que eu estava louco, gente achando muito excêntrico e curtindo idéia, e pessoas desaprovando totalmente tudo isso.

Não tenho conhecimento em fisioterapia ou de educação física. Não teria condições de debater as vantagens de se correr descalço com um profissional da área ou com uma pessoa comum.

Tem bastantes artigos e vídeos sobre o assunto, se estiverem interessados só pesquisar.

Meu argumentos não são mágicos, são simples. Apenas faço aquilo em que acredito e que por mais doido que possa parecer, tem uma base de realidade e de que não é impossível realizar.

Como que em décadas (que seja séculos passados) as pessoas corriam? ou até mesmo tribos perdidas no mundo? Podem ter a certeza que eram com uma tira de couro embaixo da sola amarrado com cordas. Em nenhum momento na minha vida eu escutei ou li algo na histórias que estes povos, após correrem, tinham que cortar as pernas pois ficaram inutilizadas, ou houve uma epidemia de lesões nós pés.

Tênis de corridas com amortecimento começaram a aparecer por volta da década de 70 para cá, e mesmo assim existem pessoas que se lesionam. Eu vejo meus amigos se machucarem.

Não sei, a impressão que dá é que um tênis de corrida ele “mascara” o piso que você está correndofora que eu começo a chocar ao solo primeiro meu calcanhar. Quando estou correndo tanto com meus Vibrams, como meus Lunas, começo a correr apenas com as pontas dos pés.

Meu tronco e minha postura ficam mais eretos ao correr desta forma.

Lendo o artigo Born to be Barefoot, de McDougall, ele comenta algo óbvio, para mim, sobre  Barefoot Ted. Para fazer o que ele faz tem que acreditar muito e testar pessoalmente, baseando sua crença e respostas no passado. Uma resposta simples e que para muitos é sinônimo de uma situação miserável: uma sandália.

Uma sandália que quando as pessoas me vêem correndo pensam que eu sou um indigente.

No atual momento os Lunas são meus calçados oficiais de corrida. Os Vibrams são para meus treinos na academia, minhas sessões de Crossfit e o dia a dia.

Aqui no Brasil conheço apenas uma pessoa que faz para vender os huaraches. Ele é de Minas e só não comprei pois seus modelos são clássicos mesmo, com tiras que precisam dar laços em volta da perna. Para minhas primeiras compras de sandálias eu preferi os Lunas com elástico pois são prontos-para-uso ao calçá-los.

O blog deste cara de Minas: Barefoot Brasil.

Futuramente talves irei ver seus modelos.

Estou grato por descobrir este novo estilo. Não encontrei a solução engarrafada dentro de um supermercado, Ted já sabia da resposta conhecida por nós há milênios

Estou imune a lesões agora? Lógico que não, sou um ser humano sujeito a tudo.

E como um ser humano, eu quero correr como um.

73 55

ps: além de mim, meu irmão também é praticante do barefoot aqui em Valinhos.

Anúncios

9 comentários sobre “Correndo como um ser humano, Luna Sandals – Barefoot Running

  1. cara eu quero uma dessa,como eu faco para comprar uma……..email:cualkercoisa@bol.com.br,la compartilhamos experiencia de correr descalço v:

    1. Comprei direto com luna sandals.

      comprei umas duas vezes: uma eles mandaram para mim, via usps e a outra comprei e mandei para um amigo que estava lá fora e vinha para o brasil.

      o problema é que o dolar está muito alto e a chances de ser tributado na receita é grande. acho que eu dei sorte na época.

      o legal seria algum amigo seu trazer de fora pra nao ficar tao caro, pois voce vai pagar o preco do produto, mais o preço da postagem para o brasil e se tiver muito azar é tributado pelo governo.

      o meu ultimo huarache eu comprei de um cara de minas: muito bom chamado cobra sandal.

      infelizmente o site está fora do ar. mandei um email para ele e estou no aguardo de uma resposta pois meu sandal nao será eterno.

      se ele falar qeu faz ainda te mando o email dele para voce, caso interesse.

      valeu
      73 55

  2. vc ainda corre de sandália? qto tempo? tenho muita lesão, estou pesando seriamente na hipótese. tbm foi com conta do livro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s