Barefoot Movements – Primeiro Trimestre de 2012 – Corrida da Lua e Corrida Oba (Campinas)

Quase acabando o primeiro trimestre de 2012 e já participei de duas corridas de rua em Campinas.

O que eu posso falar sobre elas?

Pouca coisa (mentira, escrevo bastante), mas o barefoot foi aplicado em ambos os eventos, só que desta vez eu estava além dos meus Vibrams e da lógica de muitos.

Acompanhem.

Corrida da Lua – 10/03/2012

A primeira a ser enfrentada foi a Corrida da Lua (décima sexta edição), realizada em 10/03/2012 na praça Arautos da Paz (ao lado da Lagoa do Taquaral).

Foram 10 Km em que eu estava confiante que faria um bom tempo. E fiz.

Também foi o primeira evento oficial onde coloquei para correr o meus mais novo calçados  minimalista: Luna Sandals.

O que eu posso dizer sobre esta corrida? Não muita coisa (mentira de novo).

Mantive um ritmo forte (acho que acima dos 12Km/h) então foi cansativa. Sempre usando a técnica de correr no meio da rua para evitar sentir dores nos joelhos ou em outro lugar.

Nesta corrida o meu medo era sentir dores, ou qualquer outra coisa que prejudicasse meu desempenho. Senti alguma coisa no quilômetro 9, mas foi bem passageiro. Ainda bem.

Algo que eu devo ressaltar é que eu não faço estratégias ou planejamento de como eu devo me comportar durante o percurso. Não fico pensando onde eu devo apertar o ritmo ou diminuir. Eu simplesmente corro.

Se isto é errado ou não, ainda não sei responder.

Acho que eu choquei várias pessoas, pois fico imaginando elas vendo um cara correndo apenas de bermuda, uma viseira e uma sandália.

Falando em chocar, eu havia preparado um pouco de Chia dentro de um recipiente de água. Antes da corrida eu mandei para o peito.

Seguem os shots (algumas fotos são créditos da Sueli).

Kit pronto
Chegada ao local.
Colocando numeração e o chip na sandália
Ready!!! Agora é matar ou morrer.

Agradecimentos a minha namorada Sueli, que me levou a corrida e me recebeu sorrindo após meus 10Km.

Corrida Oba – 25/03/2012

Novamente a largada foi na praça Arautos da Paz, só que desta vez as variáveis foram apresentadas de maneira diferente.

  • O trajeto se extendia para a Avenida José de Souza Campos (Norte Sul para os chegados)
  • A largada foi às 8 a.m.
  • Foram apenas 8Km
  • Havia mais um player como barefoot runner neste evento, meu irmão

Trajeto novo nesta corrida, uma novidade pois sempre corri nestas festas dando voltas no Taquaral.

ahh, mesmo sendo 8 horas da manhã o sol iluminava forte na cabeça de todos, deixando o dia muito bonito.

Esta corrida também foi cansativa pois novamente fiz de maneira forte. Saímos do Taquaral, entramos na Norte Sul e seguimos na direção do centro de Campinas.

O meu medo havia mudado de lado como uma bola de tênis, desta vez foi em relação ao meu condicionamento.

A situação nestes primeiro quilometros era de mediano para um pouco desconfortável, mas não diminui o ritmo. A sensação que eu recebia parecia que eu não estava condicionado, ou meus sentidos estava me enganando como um trapaceiro.

Talvez estivesse SIM condicionado, mas queria ir além.

Nos quilometro 2~4 comecei a sentir fome. Tinha acordado às 5 da manhã e havia comido uma banana e tomado novamente a bebida dos Tarahumaras (Chia). Novamente era aquelas sensações momentânea que passam logo.

Estava mais seguro em relação a não sentir dores, estava confiante, mas com raiva de não estar correndo mais rápido.

Meu Luna Sandals novamente fez o seu serviço de maneira maravilhosa. Foi meu feature necessário para esta corrida.

O retorno foi na região do prédio do Ministério do Trabalho. Lá estava eu com meu GPS interno mirado para o Taquaral.

Ao chegar na subida, após o Correio Popular, a situção chegou no pico para alguns corredores. Parecia um campo minado, pois via um, dois, três etc.. runners sendo literalmente alvejados pelo aclive.

Está ai a vantagem de se correr nas ruas de Valinhos, ele não te deixa mais rápido nas subidas, mas sim preparado para aguentar os golpes de um ariete no uphill.

Eu não podia aumentar o meu ódio ao correr na subida e apertar o passo, sabia por experiência que a resposta pelo afronte seria dada ao meu corpo como um trem de carga.

Existem pessoas que fogem desta razão, que fazem uma situação difícil como esta parecerem fácil. Ainda não sou uma delas.

Vamos as fotos (algumas são créditos da Giselle Goi).

Eu e o Gustavo chegando ao local
Luna Sandals
O evento em si
Completamente out do padrão eheheh
Essa foi engraçado. Meu irmão fazendo os 8K fotografando e filmando. Isso só me estimula a comprar uma GO-PRO. ahh, ele estava com seu VIbram. Foto: Rui Randi
Final de corrida, uma medalha e uma banana,hehe. Destaque na minha camiseta de CROSSFIT (com orgulho)
Fui bem...

A Corrida Oba está de parabéns, não só pelo kit fornecido aos corredores, mas a recepção no término foi inédito para mim. Nunca vi tanto tipo de frutas (além das clássicas maçã e banana tinha pêra, melância, uva, melão, açaí, água de coco…estava animal).

Agradecimentos especiais ao Gustavo e Giselle Goi pela carona na Corrida Oba.

—————

Vou dar uma descansada nestes dias em relação aos eventos de corridas, depois daqui a um ou dois meses eu volto.

Pena que o meu irmão não editou os vídeos dele correndo e tentando conversar com minha cunhada durante as pernadas. Ficou muito engraçado.

Verei uma GO-PRO futuramente, pois correr segurando uma câmera digital deve ser um saco.

Para terminar a melhor frase (no Oba) foi de um amigo professor de academia (Andrey da Runner Valinhos):

“Tinha um maluco com uma cara de louco e usava um Vibram igual o seu. É o seu irmão?”

Sim, é ele.

Cl For Seven, Baby

73 55

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s